Esporte Interativo

 

O mundo costuma dar voltas. E, na maiorias das vezes, de forma rápida. E com o Grêmio não é diferente. Se a goleada sofrida para o Flamengo, na Libertadores, não vai ser esquecida tão cedo, o Tricolor ao menos teve a chance de reescrever, novamente no Rio de Janeiro, um capítulo importante na sua temporada. Uma semana após a eliminação no Maracanã, o Imortal venceu o Vasco por 3 a 1, em São Januário, e subiu para a quinta colocação no Brasileirão.

 

Após a partida, Renato Portaluppi falou sobre a oportunidade de sair sorrindo do solo carioca sete dias depois da humilhação sofrida diante dos flamenguistas. Apesar de destacar a volta por cima da sua equipe, o comandante deixou claro que ainda se sente envergonhado pela derrota sorfrida na competição sul-americana.

“Eu vou falar a verdade para vocês. Eu continuo envergonhado, continuo triste. O meu grupo também. Mas a vida segue. A gente precisa reagir e meu grupo reagiu bem já diante do Botafogo. Não é fácil sair de uma Libertadores, ainda mais da maneira que a gente saiu. Tem coisa que é difícil superar, só com o tempo mesmo. Mas o meu grupo reagiu e eu banco eles por isso”.

 

Por fim, fez questão de garantir que seus comandados vão se reerguer, que confia no seu plantel e que apenas os ‘covardes’ não se levantam. Desde a eliminação frente ao clube da Gávea, o Grêmio entrou em campo em duas oportunidades: contra Botafogo e Vasco, vencendo por 3×0 e 3×1, respectivamente. O próximo desafio do time gaúcho é no próximo domingo (03), no clássico Gre-Nal, dentro da sua casa.

 

“Só os covardes caem e não levantam, aqui não tem covarde, só tem homem. o Grêmio foi para cordas contra o Flamengo. O Grêmio está acostumado a bater e naquele dia foi batido”.