Projeto da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) de aproveitamento da polpa de coco verde ganhou o primeiro lugar da categoria “Menção Honrosa Academia” do Prêmio Braztoa de Sustentabilidade, em cerimônia realizada na última quarta-feira (6), na cidade de Canela, no Rio Grande do Sul.

Selecionada entre 180 iniciativas, em três etapas e passando por um corpo de 11 jurados do Brasil e do exterior, foi a única iniciativa do Nordeste que foi contemplada.

“As ações envolvendo o aproveitamento do coco verde colocaram João Pessoa no mapa do turismo sustentável do Brasil e serão disponibilizadas na página do Ministério do Turismo”, adianta Ingrid Dantas, coordenadora do projeto e professora do Departamento de Gastronomia.

O projeto vem sendo executado há três anos e desenvolve produtos utilizando o albúmen comestível do coco verde (polpa), que é amplamente desperdiçado na capital paraibana.

Em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Social da Prefeitura de João Pessoa, receitas vêm sendo difundidas para qualificação profissional de pessoas usuárias das cozinhas comunitárias do município, como estratégia de geração de emprego e renda e combate à fome. Ao todo, foram desenvolvidos nove produtos de boa aceitação sensorial produzidos com o coco verde, entre eles pudim, sorvete e moqueca.

São aproximadamente 11 discentes envolvidos, mais as professoras Patrícia Pinheiro, Nádia Priscila e Estefânia Garcia, do Departamento de Gastronomia; a docente Maria Elieidy Gomes de Oliveira, do Departamento de Nutrição; e a professora Ana Luíza Mattos Braga, do Departamento de Tecnologia de Alimentos, além dos servidores técnico-administrativos Alline Lima e José Marcelo Pereira.

Neste momento, a equipe de pesquisadores da UFPB está investindo tempo em pesquisa de possíveis produtos desenvolvidos com a polpa do coco verde que tenham potencial mais amplo de comercialização e sejam indicados para industrialização, de modo a viabilizar resultados significativos para a redução do desperdício.

Primeiro do mundo a receber a chancela da Organização Mundial do Turismo (OMT), o Prêmio Braztoa de Sustentabilidade foi criado em 2012, pela Associação Brasileira das Operadoras de Turismo.

As categorias são avaliadas conforme os seguintes critérios: abordagem sistêmica em sustentabilidade; relevância para o negócio e o desenvolvimento local; inovação e abrangência do impacto e replicabilidade/escalabilidade.

Veja mais: