Magistrado entendeu que as provas constantes nos autos não foram suficientes para apontar a existência de uma conduta criminosa